segunda-feira, 26 de abril de 2010

Silêncios...em ti.

Abriste a porta e entrei. Segui-te a passos curtos o odor que emanavas.
Senti-te perto e deste-me a provar-te. Tacteando com as mãos gestos vagarosos.
Desejos, palavras, emoções de primeira vez.
Tocámos, beijámos, sentimos, gostámos, descansámos
Nessa noite no caminho de volta memorizei cada pedaço teu.
Depois senti-te de novo por inteiro, entrando e aquecendo-me em ti.
Roubei-te o sussurro consentido. E o teu agarrares-me com medo que fugisse.
Tornei quadro preferido, atracar-me às tuas coxas e prender-me para sempre em ti.
Sentir-me de olhos fechados, contigo sentada sobre o meu rosto, numa humidade tropical, a descobrir uma cor de outra dimensão.
E não menos saboroso que tudo, o que afinal foi tão pouco, o aninhar-me em ti como duas peças perfeitas do puzzle em extase de reciprocidade .
Guardo os teus olhos, abertos, depois fechados confundindo-me a boca nos teus lábios.
E ficarmos nesse beijo...sempre.



                                                                                 (2007)

7 comentários:

Celeste disse...

Simplesmente Belo! Ler-te é fascinante e tambem por vezes intrigante, mas é isto que me seduz...

Um Beijo de "pacto".....Sempre e para Sempre!

Apenas eu disse...

há momentos que são para sempre ficam no registo da nossa memória fotográfica....

beijo Mika

Paula disse...

Não há dúvida...quando bates asas sobre as montanhas, vales, mares e rios, és um misterioso sedutor...

GM disse...

Não comento, outro comentário além deste. Pois estou a comentar...!

luz efemera disse...

Os silêncios são para serem quebrados...
Bom texto.

Anónimo disse...

Gosto das palavras!!!Diliciam-me os silêncios...aqueles onde as palavras não têm lugar, aí, eles vencedores em pódio colocados...
Bocas que se procuraram complementando a junção de corpos contorcionistas na arte do prazer, jazidos em leito que quis em fusão...e silenciosamente em silêncio os sinto, ecoam, trazem-me passado de silêncios, não os que gostei, não os que fantasiei...
Quis, quero, sonhei, sonho com outros, os que sempre me povoaram sem existência...
...e sempre as mesmas palavras "...um dia"...
Assim passaram anos...


...

Anónimo disse...

deliciam-me!!!!!!!!!!!!!!!