quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Sétima +

Seja sétima, a maior arte de ver... ouvir... sentir...
Saboreio-te em oitava, vestida no branco que te despe... raro momento em que o suor se evapora por entre os teus dedos...e me tocas, tocando-me de olhos fechados pelas teclas que sabes de cor entre o escuro e a luz sonante... 
... sei que vais ficar sentada depois desse trecho, de mãos a prender os dedos nas últimas notas tocadas, durante os segundos que te prendem ao tempo estático... e o lençol negro a escorrer-se da tua pele...
... recomeça, uma outra vez... agora ao piano, a solo, no teu tema preferido... outro múltiplo teu...





1 comentário:

Arroba disse...

De blogue em blogue vim dar ao seu; passeio-me por aqui. Li e gostei! Pena estar ausente desde Janeiro, mas calculo que a vida profissional ( e a outra) nos rouba pedaços desta (mesma) vida que também gostaríamos de viver!
Parabéns pela sua prosa poética!